Associação Nacional de Clubes de Futebol tem primeira reunião nesta terça

A discussão sobre a atual situação dos clubes em relação ao PROFUT estará em pauta

por Agência Futebol Interior

Nesta terça-feira (9) às 15 horas, será realizada a primeira reunião virtual da nova diretorial, com os integrantes da Associação Nacional de Clubes de Futebol. Em pauta um assunto preocupante para todo o futebol brasileiro: a discussão sobre a atual situação dos clubes em relação ao PROFUT e a medida provisória sobre os direitos de transmissão do mandante, editada em 2020, mas que não chegou a ser votada pelo Senado da República.

No encontro desta terça-feira estarão presentes o Secretário Nacional do Futebol, Ronaldo Lima, o presidente da APFUT, Thiago Froes e o Senador Carlos Portinho, que é o relator do Projeto de Lei Clube/Empresa.

Francisco José Battistotti
Francisco José Battistotti
NOVA DIRETORIA

Em recente Assembleia Geral foi eleita a diretoria da Associação Nacional dos Clubes de Futebol, que elegeu o presidente do Avaí, Francisco José Battistotti como novo presidente da entidade nacional, Edno Melo, presidente do Clube Náutico Capibaribe, como seu vice-presidente.

A entidade com sede em Florianópolis, terá como Diretor Executivo, o paranaense Leonardo Oliveira.

Na assembleia de eleição, participaram 22 clubes representando 13 estados da Federação. Cinco deles são da série A: América (MG), Atlético (GO), Chapecoense (SC), Cuiabá (MT) e o Juventude (RS). Da série B participaram da assembleia 14 clubes: Avaí e Brusque (SC), Cruzeiro (MG), Vila Nova (GO), Confiança (SE), Remo (PA) Náutico (PE), Brasil (RS), Vitória (BA), Operário e Londrina (PR), Sampaio Correa (MA) e CSA e CRB (AL).

Três clubes integrantes da série C, ratificaram a eleição da atual diretoria: Figueirense (SC), Botafogo (SP) e Paraná Clube (PR).

AJUDA AOS CLUBES

Para o presidente da Associação Nacional de Clubes de Futebol, Francisco José Battistotti, a importância da associação está diretamente ligada à urgente necessidade de o sistema desportivo nacional socorrer os clubes dentro das suas necessidades para que eles possam cumprir o seu papel social no atual contexto nacional.

"Os clubes estão sendo sacrificados de forma generalizada, mas a maior carga está sobre os de menor poder financeiro, justamente os que têm destacado papel no fomento da prática desportiva em todas as suas categorias".