Baiano: Ex-Ponte Preta, técnico deixa o Bahia e agradece: "Dever cumprido'

Esquadrão de Aço lidera o Estadual: são 15 pontos em sete rodadas; Jacuipense, com 12, aparece em segundo

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 20 (AFI) - Por conta da pandemia de covid-19, o novo coronavírus, os clubes brasileiros se encontram em momento delicado financeiramente. Com o Bahia, não vem sendo diferente.

Dessa forma, nesta segunda-feira, o clube tricolor confirmou o fim do Time de Transição, que vinha disputando o Campeonato Baiano. Consequentemente, quem deixou a Fonte Nova foi o técnico da equipe, Dado Cavalcanti.

No momento da interrupção do futebol nacional, o Esquadrão de Aço liderava o Estadual da Bahia: eram 15 pontos em sete rodadas; Jacuipense, com 12, aparecia em segundo, enquanto Bahia de Feira e Vitória, com 11, fechavam o G4.

"Quero agradecer enormemente a direção (...). Pude ver bem de perto o gigantismo e a estrutura do Bahia e o fanatismo da torcida tricolor (...). Fica meu sentimento do dever cumprido e o agradecimento pela grande oportunidade", manifestou o treinador.

Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia
Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia
CONFIRA A NOTA OFICIAL DO BAHIA SOBRE O TEMA
"O Esporte Clube Bahia comunica que, em razão das consequências da pandemia causada pelo novo coronavírus, o projeto do Time de Transição precisará sofrer prematura e indesejada interrupção. Com o Campeonato Brasileiro de Aspirantes ainda incerto no calendário 2020, o contrato do técnico Dado Cavalcanti se encerra nesta segunda-feira (20) e infelizmente não será renovado.

Dado, o auxiliar Pedro Gama e o treinador de goleiros Daniel Crizel chegaram há um ano e vinham realizando trabalho de excelência dentro e fora de campo. No período, a equipe sub-23 alcançou a semifinal do Brasileiro de Aspirantes 2019 e liderava o Campeonato Baiano da categoria profissional. O Esquadrão agradece os serviços prestados e deseja o melhor no prosseguimento de suas carreiras".

DADA CAVALCANTI SE DESPEDE DO BAHIA
"Quero agradecer enormemente a direção do EC Bahia por esse período em que tive a oportunidade de trabalhar no Clube. Nesses doze meses pude ver bem de perto o gigantismo e a estrutura do Bahia e o fanatismo da torcida tricolor. Os objetivos planejados para a Equipe de Transição foram atingidos e, em alguns momentos, superados. Chegamos em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

No Campeonato Baiano, até a paralisação da competição, na sétima rodada, permanecemos na liderança com 15 pontos em 7 jogos. Mantivemos também a invencibilidade com a defesa menos vazada, o melhor ataque e vencemos o clássico estadual fora de casa. Neste trabalho também pudemos colocar à disposição do técnico Roger Machado, da equipe principal, jovens atletas em condições de contribuir com o processo desportivo e de retroalimentação financeira do clube.

Todos nós sabemos das dificuldades que a pandemia do coronavírus impôs a todos os seguimentos da sociedade e entendo tudo que a diretoria do Bahia é obrigada a fazer para preservar a saúde financeira do Clube. Estávamos negociando a renovação do meu contrato, mas a situação financeira mudou.

Fica meu sentimento do dever cumprido e o agradecimento pela grande oportunidade que tive como treinador da Equipe de Transição. Quero agradecer também a todos os profissionais com quem tive o prazer de trabalhar, aos atletas, aos demais setores do Clube e à diretoria. Tenho a certeza que pelo nível das pessoas responsáveis pelo Bahia, o Clube está em ótimas mãos".