Botafogo-RJ 0 x 0 Santos - Fogão escapa de derrota e segue dentro do Z-4

Para o Santos faltou mesmo o gol, porque dominou o adversário em campo e poderia ter vencido no Engenhão

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 20 (AFI) - Para o Santos só faltou o gol. O Santos foi melhor, mais intenso e teve maior volume de jogo, porém, só empatou sem gols com o Botafogo-RJ, neste domingo à noite (20), no estádio Nilton Santos, o Engenhão, na cidade do Rio de Janeiro pela 11.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O campo estava molhado devido a chuva.

O resultado não foi de todo ruim, porque manteve o time paulista entre os primeiros colocados, com 16 pontos, em sétimo lugar. O time carioca, de outro lado, segue na zona de rebaixamento, com apenas 10 pontos e na 18.ª colocação.

VEJA OS MELHORES MOMENTOS

COM BAIXAS
Mesmo sem o atacante Soteldo suspenso e o volante Alison, poupado, o Santos começou o jogo em cima do Botafogo. Aos 16 minutos, Arthur Gomes soltou a bomba e Gatito Fernández espalmou para escanteio.

Na cobrança, quase que o goleiro se complica. Ele não cortou o cruzamento e a bola ficou quicando na pequena área, porém, o goleiro se recuperou ao dar um tapinha por cima. A bola, de maneira caprichosa, ainda bateu de leve no travessão.

CHANCE ÚNICA
O Botafogo assustou aos 22 minutos, quando Davi Araújo entrou na grande área em diagonal e na saída do goleiro João Paulo deu um toque por cobertura em direção ao gol. Mas Lucas Veríssimo apareceu na pequena área aliviando de cabeça.

Mas o dono em campo era mesmo o Santos que voltou a ameaçar numa falta cobrada em curva por Sanchez. Desta vez Gatito fechou as mãos e deu um murro na bola para longe aos 37 minutos.

VERMELHO CANCELADO
Um minuto depois, um lance diferente em relação a arbitragem. Caio Alexandre entrou em Diego Pituca com excesso de força e o árbitro paranaense José Mendonça da Silva Júnior, de imediato, apresentou o cartão vermelho.

Chamado pelo VAR, o árbitro voltou atrás e aplicou apenas o cartão amarelo, de advertência.

Botafogo levou sufoco do Santos, mas segurou o empate sem gols
Botafogo levou sufoco do Santos, mas segurou o empate sem gols

MAIS PEIXE
O segundo tempo teve ainda uma maior supremacia santista, num jogo de ataque contra defesa. Tanto que Gatito Fernández se transformou no melhor jogador em campo. Aos 12 minutos, Carlos Sanchez acertou um belo chute de esquerda que exigiu grande defesa de Gatito.

O goleiro também evitou perigo maior, aos 20 minutos, após cruzamento de Sanchez e que poderia cair na cabeça de alguém atacante.

Sem forças, o Botafogo ainda usou suas trocas, inclusive com a entrada do japonês Honda. Mas aos 29 minutos, Kaio Jorge desviou de cabeça o cruzamento da esquerda e a bola tirou tinta da trave esquerda do time carioca.

LIBERTADORES E COPA DO BRASIL
O Santos só volta a campo pelo Brasileiro agora no outro domingo (27) diante do Fortaleza, às 20h30, na Vila Belmiro.

Mas antes disso, na quinta-feira (24), o Santos foca a Copa Libertadores pegando o Delfin, no Equador, pela quarta rodada do Grupo G. Este jogo vai começar às 23 horas.

O Botafogo fará na quarta-feira o clássico com o Vasco, que vale uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. O Fogão venceu o primeiro jogo por 1 a 0 e agora pode até empatar em São Januário. No domingo, volta a jogar pelo Brasileirão contra o Atlético-GO, em Goiânia, às 18h15.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
11ª rodada
Data
20/09/2020
Horário
18h15
Local
Nilton Santos - Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro
José Mendonça da Silva Júnior (PR)

Assistentes
Ivan Carlos Bohn (PR) e Sidimar Meurer (PR)

Cartões Amarelos
Botafogo-RJ: Gatito Fernández, Caio Alexandre, Fernando, Davi Araújo
Santos-SP: Carlos Sanchez , Lucas Veríssimo

Botafogo-RJ
Gatito Fernández;
Fernando (Barrandeguy), Kanu, Marcelo Benevenuto e Victor Luis (Hugo);
Renteria, Caio Alexandre (Rafael Forster), Davi Araújo (Honda);
Rhuan, Matheus Babi e Kalou

Técnico: Paulo Autuori
Santos-SP
João Paulo;
Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan;
Diego Pituca, Carlos Sánchez (Ivonei) e Jean Mota (Tailson);
Arthur Gomes (Lucas Lourenço), Marinho e Raniel (Kaio Jorge).
Técnico: Cuca