Jogadores relembram título do XV de Piracicaba sob comando de Vadão, em 1995

Integrantes do elenco campeão deram entrevistas para o site oficial do clube e lamentaram a notícia

por Agência Futebol Interior

Piracicaba, SP, 25 (AFI) - Com o falecimento do técnico Vadão, diversos clubes prestaram suas homenagens, principalmente os que fizeram parte de sua vitoriosa carreira. Uma de suas conquistas aconteceu em 1995, quando conquistou a Série C do Campeonato Brasileiro pelo XV de Piracicaba.

Integrantes do elenco campeão deram entrevistas para o site oficial do clube e lamentaram a notícia, além de lembrarem como foi aquele ano. Carlão, ex-volante, Cristiano Cavalcante, ex-goleiro, Cleber Gaúcho, ex-meia, e Biluca, ex-zagueiro e capitão, foram os entrevistados.

CAMPANHA EM 1995

Na primeira fase, o XV se classificou em uma chave que tinha ainda Paulista e Democrata-GV. Em seguida, em confrontos de ida e volta, o Nhô Quim eliminou Inter de Limeira, Barra/RJ, Brasil de Pelotas, Joinville e Gama.

O jogo que deu o título ao clube piracicabano foi diante do Volta Redonda. Após ganhar por 2 a 1 em Piracicaba, os comandados de Vadão, que não compareceu por motivos pessoais, trouxeram o troféu para casa com novo triunfo por 1 a 0, no Rio de Janeiro.

CARLÃO, EX-VOLANTE

“É um dia muito triste. O Vadão foi meu treinador ainda no início da minha carreira. Eu cheguei ao XV com apenas 16 anos, vindo de Monte Verde e ele, que era da cidade vizinha, Monte Azul Paulista, me ajudou muito.

Além de ótimo técnico, era uma pessoa fantástica, um ser humano incrível. Nós temos um grupo de Whatsapp, com os campeões de 95, todos têm a mesma opinião e ficaram muito tristes com o ocorrido”, Carlão, ex-volante e atual supervisor das categorias de formação do XV

CRISTIANO, EX-GOLEIRO

“Eu conheci o Vadão em 95, quando ele chegou para montar o time que foi campeão da Série C. Eu era muito jovem, o terceiro goleiro do profissional, mas os mais experientes naquela época já falavam que ele era à frente do tempo.

Então, os treinamentos, a forma de montar a equipe e as variações de jogadas nos treinamentos e nos jogos era algo que nos surpreendia, diante de tudo o que conhecíamos. Ele era acima da média, em um tempo em que o futebol não era tão moderno.

Nós tínhamos a certeza que ele teria uma grande carreira. Não à toa teve tantas conquistas. A marca dele no futebol ficará para sempre. Como pessoa, o que eu posso dizer é que ele respeitava a todos, independente de nome.

O jogador era escalado por merecimento e a prova disso é o próprio Carlão, que atuou com apenas 16 anos. Todos no grupo o respeitavam. Com certeza, deixará saudades”, Cristiano Cavalcante, ex-goleiro e atual preparador de goleiros do elenco profissional do XV

CLEBER GAÚCHO, EX-MEIA

“A perda do Vadão é sentida por todos que amam o futebol, pois foi um técnico muito capacitado e competente, conhecedor daquilo que gostava de transmitir aos seus comandados. Tive o prazer e o privilégio de ser seu atleta no XV de Piracicaba na conquista do título da Série C de 1995.

Um profissional amigo, educado, transparente e honrado. Vai fazer muita falta. Que DEUS conforte seus familiares. O futebol está de Luto”, Cleber Gaúcho, ex-meio-campista, campeão da Copa Paulista de 2016 como treinador quinzista

BILUCA, EX-ZAGUEIRO

“O Vadão foi muito importante em 95, não só para o XV, mas para muitos moleques daquela equipe. O XV vinha de um descenso no Paulistão, ele pegou o time totalmente desestruturado. Com seu estilo, foi montando a equipe do jeito que ele queria e deu certo.

Era uma pessoa muito inteligente, com seu sistema 3-5-2. Era um treinador que gostava de conversar muito com os jogadores. Treinava muito. Pessoa do bem. Que Deus o receba de braços abertos.

Sem nostalgia, um dos melhores treinadores que trabalhei, e olha que trabalhei com bastante. Mas o jeito dele era diferente. Muito discreto, queria as coisas sempre corretas. Vai deixar saudades!”, Biluca, ex-zagueiro, capitão da equipe, levantou o troféu em 1995