SELEÇÃO FI do Brasileirão conta com jovem técnico e atacante do novo líder

Com jogadores inspirados no meio-campo, Seleção FI tem o artilheiro da rodada e outros destaques

Publicado em .

Com jogadores inspirados no meio-campo, Seleção FI tem o artilheiro da rodada e outros destaques

Campinas, SP, 20 (AFI) - A quase interminável 11ª rodada do Campeonato Brasileiro foi encerrada neste domingo. Então chegou a hora da Seleção Futebol Interior entrar em campo e trazer os melhores dos dez jogos que começaram ainda em agosto em partida antecipada entre São Paulo e Athletico-PR.

A Seleção FI chega com um novo líder na classificação. O Internacional voltou a tropeçar e foi ultrapassado pelo Atlético-MG. Graças a Keno, o atacante da Seleção FI que fez hat-trick contra o Atlético-GO.

O outro responsável por tirar o Colorado da ponta também foi convocado. O volante Felipe, do Fortaleza, acertou um pombo sem asa no Castelão.

Na parte inferior da classificação também tem mudança. O Red Bull Bragantino desencantou em grande estilo ao enfiar 4 a 2 no Ceará. Méritos para o jovem técnico Maurício Barbieri. Mas a Seleção FI também tem experiência. Como o pé calibrado de Fágner e o habilidoso Carlos Sánchez.

Três vezes Keno em Goiânia. (Foto: Pedro Souza / Atlético-MG)
Três vezes Keno em Goiânia. (Foto: Pedro Souza / Atlético-MG)

CONFIRA A SELEÇÃO FI DA 11ª RODADA DO BRASILEIRÃO:

Goleiro: Gatito Fernández (Botafogo-RJ)
Com a opção do time carioca em priorizar a Copa do Brasil e atuar com um time misto diante do Santos, a bomba estourou nas mãos do goleirão que segurou a força ofensiva do Peixe. Ele fez pelo menos cinco defesas que poderiam se transformar em gols, o que prova a sua eficiência em campo.

Mas é bom o Botafogo tentar melhorar, porque está na zona de rebaixamento e não é sempre que ‘santo de casa faz milagre’.

Se apertar, chama o Fagner. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)
Se apertar, chama o Fagner. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

Lateral-direito: Fágner (Corinthians)
Fágner segue sendo um desafogo para o Corinthians. É verdade que, às vezes, dá suas botinadas, mas quando resolve jogar, se destaca.

Foi assim na vitória do Corinthians sobre o Bahia. O lateral deu assistências para os gols de Otero e Gil. Fágner e seu pé calibrado.

Se apertar, chama o Fagner. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

Zagueiro: Paulão (Fortaleza)
Paulão é daqueles zagueiros que fala grosso, mas ele também sabe jogar. Seguro em campo, ele não deu chances aos atacantes do Internacional que defendia a liderança. Homem de confiança de Rogério Ceni, Paulão não deixou passar nada e foi essencial na vitória tricolor no Castelão.

Zagueiro: Iago Maidana (Sport)
Se o Brocador garante lá na frente, Iago Maidana segura lá trás. O zagueiro não tem medo de cara feia e parou o atacante do Fluminense neste domingo. Seguro, Iago Maidana deu a tranquilidade que o Sport necessitava durante a vitória pelo Brasileirão.

Lateral-esquerdo: Viña (Palmeiras)
A lateral esquerda do Palmeiras está bem servida com o uruguaio Viña. O jogador fez novamente mais uma boa partida com a camisa alviverde. Válvula de escape da equipe, deu assistência para o gol de Raphael Veiga. Consertou um setor que vinha sendo bastante contestado pelos torcedores do Verdão.

Bruno Tubarão: surpresa na escalação
Bruno Tubarão: surpresa na escalação
Volante: Bruno Tubarão (Red Bull Bragantino)
Foi a surpresa na escalação inicial diante do Ceará, mas também surpreendeu pelo excelente futebol desenvolvido em campo. Participou intensamente no setor de meio-campo, mostrando eficiência na marcação e, mais importante, chegando na frente nas conclusões. Tanto que marcou um gol após rebote do goleiro Fernando Prass em chute de Artur.


Volante: Felipe (Fortaleza)
Se os atacantes não resolveram, o volante fez questão de derrubar o então líder Internacional. Após dois anos de jejum, Felipe voltou a marcar. Seguro atrás e com fome de gol na frente. Ele pegou uma bola rebatida e soltou um pombo sem asa, sem chance para Marcelo Lomba.

Meia: Nathan (Atlético-MG)
É um dos jogadores mais decisivos do Atlético-MG. Veio do banco do reservas para resolver os problemas do time de Sampaoli contra o Atlético-GO na última rodada. Cria espaços e aparece bem para finalizar. Marcou o gol que iniciou a virada atleticana, que resultou na liderança da competição.

Nathan voltou a brilhar pelo Galo
Nathan voltou a brilhar pelo Galo

Meia: Carlos Sánchez (Santos)
Desta vez ele apareceu mais para o jogo, chamando a responsabilidade para si. Tanto que foi quem mais finalizou em gol, inclusive, cobrando faltas. Talvez tenha ficado mais à vontade com a presença de Diego Pituca fixo na frente da defesa, protegendo o setor defensivo.

E a presença de Sanchez no ataque também tirou um pouco de foco a marcação em cima de Marinho, que tem sido a estrela do Peixe neste Brasileirão.

Keno fez hat-trick pelo Galo
Keno fez hat-trick pelo Galo

Atacante: Luciano (São Paulo)
Peso da camisa? Peso por ter jogado no rival? Que nada! Luciano vestiu a camisa tricolor e resolveu.

Foi dele o gol na vitória do São Paulo sobre o Athletico-PR em jogo que abriu a 11ª rodada ainda em agosto. Naquela oportunidade, Luciano fez seu segundo gol em três jogos.

Atacante: Keno (Atlético-MG)
Um dos contratados especialmente para o Campeonato Brasileiro e vem dando conta do recado.

É o "cara" do ataque do Galo e mostrou o porque contra o Atlético-MG, marcando três gols. Teve de bola rolando, de cabeça, de pênalti, ainda não fez mais porque acertou a trave. Ainda vai se destacar bastante no Brasileirão.

Técnico: Maurício Barbieri (Red Bull Bragantino)
Mostrando sua capacidade e inteligência, rapidamente ele entendeu a melhor maneira que o Bragantino deve atuar no Brasileiro. É preciso ter três volantes no meio-campo, com capacidade para tocar a bola com velocidade e até chegar no ataque.

Vitória maiúscula e RB Braga na briga. (Foto: Divulgação)
Vitória maiúscula e RB Braga na briga. (Foto: Divulgação)

Mesmo porque o ataque de Bragança Paulista é muito bom, contando com a velocidade de Artur, a técnica apurada de Claudinho e o oportunismo de Alerrandro, que é artilheiro do time com cinco gols.

Mas a caminhada do Bragantino ainda será muito difícil, principalmente pelo fraco início de competição. Fruto dos erros de planejamento e da série de contratações equivocadas feitas pela direção. O que funciona na Áustria ou na Alemanha, nem sempre, vai funcionar no Brasil.